sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

O Hobbit e uma realização


Minha primeira pré-estreia... Não poderia estar mais feliz, não poderia ter escolhido melhor filme.

Me apaixonei pelo universo de Tolkein quando li 'A Sociedade Do Anel' nos idos de 2002 e até hoje continuo maravilhada com a capacidade de um simples homem criar um mundo tão maravilhoso. Desde que foi anunciado que haveria um filme baseada na obra que deu início a uma saga tão rica, pensei comigo que o mundo não podia acabar até que assistisse, pelo menos, o primeiro da trilogia. Pois é, sobrevivi ao fim do mundo no ano passado e agora, finalmente, consegui ver essa maravilha.

Segundo a Wikipédia os hobbits são: "um povo discreto e muito antigo, normalmente não ultrapassam um metro de altura, são bem menos robustos que anões e consideram a possibilidade de participarem de uma aventura como uma atitude insana, pois preferem a calma de sua vida rotineira, amam uma região campestre organizada e bem cultivada. São agéis pois acostumaram-se a fugir dos "homens grandes", conseguiram tanta experiência nessa área que pode-se confundir com magia, porém, hobbits nunca tiveram interesse em magia, além disso, hobbits tem ouvidos agudos e olhos perspicazes. Embora habilidosos, os hobbits não conseguem entender ou gostar de máquinas mais complicadas que um fole de forja, um moinho d'água ou um tear manual. Andam descalços, porque a sola de seus pés é muito espessa, não necessitando de calçados. Vivem em tocas grandes e confortáveis (na verdade, casas subterrâneas com um só andar e várias despensas) em uma terra ao oeste da Terra Média, chamada Shire (no Brasil o nome do local foi traduzido para "Condado")."  Bem, quem me conhece sabe a minha profunda identificação com os hobbits, depois dos Ents é claro, mas isso é outra história.

O Hobbit conta a historia de Bilbo Bolseiro 60 anos antes da comitiva do anel ser formada e de como o Anel apareceu nas mãos desse pequenino. Li algumas críticas onde as pessoas chamam o filme de parado e que demora a pegar o ritmo... Bem, escrevo como fã da saga e, sinceramente, não achei o filme lento (lento é o livro 'As Duas Torres') e até achei o filme curto. Me emocionei com as canções dos anões (ok, admito, caíram lágrimas na música Misty Mountain), ri com as caras e bocas do Martin Freeman, Gandalf e dos anões. Falando em anões, eles aumentaram bastante a minha simpatia por eles. Temos elfos também, não tão presentes como nos outros filmes da trilogia do eSenhor dos Anéis', e a linda presença da Cate Blanchett como Galadriel

Queria falar, especificamente sobre o Martin Freeman (qual não sei mais se chamo de Arthur Dent, John Watson ou Bilbo Bolseiro) que se mostrou extremamente carismático no papel principal da saga e, a cada trabalho dele que vejo, se mostra um ator impressionante! Poderia ficar babando horrores por ele mas, voltemos ao tema.


O filme é rico, tem efeitos lindos e uma fotografia maravilhosa. Mas, existem defeitos como qualquer coisa no mundo. Determinados momentos, os efeitos ficam forçados a ponto de você notar isso (ora, em full HD e 48fps você nota até a barba do cara crescendo) e algumas cenas eram muito rápidas, até disseram que isso poderia causar mal-estar em algumas pessoas e que se ficasse atento. Felizmente, nada disso tira o brilho do filme que, possivelmente, irá arrebatar alguns oscars ano que vem. Além de tudo isso, a história dessa primeira parte da jornada de Bilbo Bolseiro traz uma mensagem de nunca desistir de alguém que parece ser menos que você/diferente de você e que se você quer algo, lute com todas suas forças se cercando por pessoas que possam lhe ajudar.


Agora, cá estou eu, já a espera do segundo filme ansiosa. Que a jornada continue, pois quero partir nessa aventura.


4 comentários:

Francisco Roberto Salce Beck disse...

Lindíssimo texto! Quero muito ver também o quanto antes possível.

Diego Félix disse...

Ótimo texto, dona Amanda ;) fiquei muito feliz de ver meu livro preferido ganhar vida

Edson Xadir disse...

Gostei do review. Vou assistir e qro ver se o filme realmente é tudo isso. Já vi um trailer em HIGH QUALITY 48fps e fikei tenso.

Lestat disse...

Realmente , belas palavras é um livro maravilhoso.

Postar um comentário

Fale, quero ouvir a sua voz também.

 
;