quinta-feira, 17 de março de 2016 0 comentários

Ela se foi

Na madrugada do dia 27 de fevereiro perdi a minha avó materna. Eu era bastante próxima a ela, quase todo dia conseguia falar com ela, ligava em datas importantes, cuidava de mim, fazia a melhor comida de todo universo... Ela se foi, a avó que eu contava os dias para poder viajar para ver-la, aquela pela qual ficava de coração partido por não poder ir cuidar dela e nem conversar com ela... O corpo físico se foi, o espírito fica.

Foi tudo tão rápido, ela começou a se sentir mal na quarta, foi internada na quinta, foi para UTI na sexta a tarde e no sábado de madrugada (entre 2 e 3 da manhã) ela partiu. Tudo isso por conta daquele maldito mosquito e daquela maldita febre que aceleraram a partida desse plano.

Queria lhe dizer que estou bem mas não estou. Quando fecho os olhos vejo meu avô, minha mãe, minhas tias, meu tio, meu pai e meus primos chorando, escuto minha mãe soluçando dizendo que nunca mais verá a mãe de novo, vejo ela lá no caixão... Aquela não era minha avó, era outra pessoa, era uma sósia, não quero acreditar mas é preciso. Sinto meu avô me abraçando e dizendo "oh minha netinha, sua avó foi embora", estou triste por ter conhecido meu tio (filho adotado do meu avô) em um momento tão triste, tenho medo do que possa acontecer ao meu avô sem ela, eles ficaram mais de 50 anos juntos, e na família há casos de morte por tristeza. Me preocupo com minha mãe também, uma vez que ela não conseguiu se despedir da mãe e sei que ela ficará se culpando por isso.

Fico triste por não ter conseguido fazer a surpresa a ela como queria, de ter mostrado a ela meu diploma (logo eu, a primeira neta a se formar)... Tantas coisas que queria fazer, até escutar ela falando que estou me 'enfeiando' por conta das minhas tatuagens, de ver ela tirando onda comigo fazendo tarefas domésticas... Ela não está mais aqui, pelo menos fisicamente.

Sei que isso é egoísta mas queria ter o dom do Piemaker de Pushing Daisies e ressuscitar ela, mesmo que isso custasse eu não poder mais tocar nela. Eu queria ela aqui por mais alguns vários anos... Mas Deus precisava dela mais que nós né?

Ainda estou abalada, há dias que é mais fácil superar e outros que é mais difícil, estou na semana do difícil... A saudade nunca vai passar, mas iremos nos acostumar à ausência.

Preciso ser forte mais uma vez, por mim e por todos.
segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 0 comentários

Não abandonei o blog!

Oi!

Só tô dando uma passada rápida pra dizer que não abandonei o blog, apenas estou cuidando dos meus pais que pegaram Dengue...

Assim que eles melhorarem, eu volto a postar

=***
quinta-feira, 28 de janeiro de 2016 0 comentários

Vida de formada: Parte 4 - FINALMENTE ACABOU!

Finalmente acabou a jornada para me formar.

Acabou dia 20 de outubro, quando, finalmente, peguei o meu diploma. Nesse dia, postei a seguinte mensagem no meu perfil do Facebook:


"Essa semana, zerei um jogo que havia iniciado em fevereiro de 2009. Um jogo longo e complicado, com várias missões secundárias/side quests, algumas tão complicadas quanto a principal. 

Foram várias missões secundárias, algumas bem fáceis, algumas mais difíceis que a missão principal/main quest, algumas me fizeram chorar, querer desistir e outras que me fizeram rir e comemorar. Algumas me fizeram me sentir o pior ser humano da história e outras como a rainha do universo. Uma das quest complicadas envolveram 12 italianos e passar 3 dias dentro de um ônibus viajando.

Encontrei várias companhias/companions que me ajudaram a completar essa jornada, alguns ainda estão comigo, mesmo que não fale constante, e outras que quero esquecer que estiveram comigo. Algumas eram da minha idade, outras mais velhas ou mais novas. Umas viraram amigos e outras conhecidos. Cada uma acrescentou algo especial na jornada, seja amor, relaxamento, raiva, ódio, determinação...

Algumas missões me deram prêmios em dinheiro, outras reconhecimento, outras me tiraram coisas, saúde e pessoas. Essas missões me fizeram chorar a ponto de querer abandonar tudo. 

Uma hora tive que abrir mão das missões secundárias para entrar no estágio final da minha jornada, já havia acumulado muita experiência/XP para poder enfrentar-lá, as abandonei com coração partido mas foi necessário. 

Há um ano, iniciei o estágio final. Esse foi o mais difícil e complicado de tudo. Arranquei cabelos, lágrimas, sorrisos, quantidades até exageradas de álcool. Tudo culminou no dia 27 de março e uma resposta de que foi 8,5. Comemorei, pensando que tinha enfrentado o chefe final/final boss, mas foi uma amostra de que ainda haveria mais dois chefes para enfrentar. Em 29 de julho, enfrentei o penúltimo chefe e esse me deixou na cara do gol. Na terça, dia 20 de outubro (uma data que me traz lembranças) enfrentei o chefe final de verdade e o venci. 

Finalmente peguei meu prêmio final e agora destravei um novo modo de batalha. Agora a jornada continua com o nível mais pesado e com mais missões. 

Qual será meu próximo jogo? Ainda não sei, só sei que zerei o jogo do ensino superior e agora sou turismóloga. Cuidado comigo mundo, pois estou chegando para zerar mais uma nova jornada!"

Finalmente acabou, saí calejada, com inúmeras cicatrizes mas finalmente tudo acabou. Agora só falta escolher um novo jogo e apetar start!


segunda-feira, 18 de janeiro de 2016 1 comentários

Eu assisti: A Canção do Oceano (Song of the Sea)

Inaugurando o novo rumo do blog, vou inaugurar uma nova sessão, na qual vou falar do que ando assistindo, seja filme, série, documentário, show, desenho animado e etc.

Como abre-alas, escolhi a animação multinacional "A Canção do Oceano" que assisti nesse final de semana.

Ficha técnica
Nome: A Canção do Oceano (Song of the Sea)
Direção: Tomm Moore
Gênero: Animação
Duração: 93 Minutos
País de Origem: Irlanda/Dinamarca/França/Bélgica/Luxemburgo
Data de estreia: 10 de Dezembro de 2014
Censura: Livre
Nota 10 de 10

Fazia um tempo que queria ver esse filme, desde que a Thaís do Pronome Interrogativo fez esse post falando sobre ele. Baseado em diversas lendas, tendo como principal a lenda das Selkies (mulheres que se transformam em focas ao entrar no mar), o filme conta a história de Ben, um garotinho que está feliz por sua mãe, Bronagh, estar grávida e crê que será um irmãozinho, mas, no dia que ela dá a luz,o abandona, assim Ben descobre que seu irmãozinho é na verdade uma irmãzinha, a Saoirse (se pronuncia como seashore) e a promessa de ser o melhor amigo dela vai por água a baixo.

Um belo dia, no aniversário de 6 anos da Saoirse, ela, após a avó pensar que já estava dormindo, é atraída pela concha que a mãe deu ao Ben e a usa e algumas luzes aparecem e a guiam até um quarto um baú misterioso, onde ela encontra um casaco mágico que faz ela se transformar em uma foca, como a Selkie das lendas que a mãe contava para Ben, assim que ela entra no mar e vai 'brincar' com as focas que a esperam. Após reencontrar a irmã, Ben e ela são obrigados a se mudarem para a casa da avó e assim começa a aventura que mostra como a amizade entre irmãos pode crescer e como eles lutam pela sobrevivência em meio as fadas e lendas gaélicas/irlandesas.

Achei esse filme a coisa mais linda do mundo! O traço da animação é maravilhoso e traz pequenas lições como o companheirismo e sobre o 'luto' por ser abandonado por alguém que se ama muito, além de viajar pelas lendas e seres místicos e músicas, tudo aquilo que mais amo. Aconselho a todos que curtem animação que assistam e se divirtam, ele se assemelha ao nível técnico da Ghibli.





segunda-feira, 11 de janeiro de 2016 0 comentários

Hora de tirar poeira

Acho que já passou da hora de tirar a poeira desse blog e fazer algo bem legal nele. Poxa, minha última postagem foi em abril de 2015!

Não irei apagar as postagens antigas, mas farei uma nova abordagem de temas que eu curto, como música, cinema e livros, além de manter uma maior frequência de posts. Tentarei postar 2 vezes por semana, irei me esforçar o máximo pra isso.

Quero remodelar o blog por completo mas isso vai tomar um tempo.

Espero que curtam as mudanças que estão por vir!

Abraços
quarta-feira, 15 de abril de 2015 1 comentários

TAGs: Sandman Book Tag e Rock Book Tag

Como todos sabem, sou uma louca por livros e vi essas books tags nos canais da Anna 
Schermak do Pausa Para um Café e no da Raquel Moritz do Pipoca Musical e, em poucas palavras, adorei a ideia das tags. Porém elas deveriam ser gravadas em video, mas eu tenho uma grande resistência de aparecer na frente das câmeras (tanto em fotos como em filmagens, a menos q eu esteja mega produzida ou de cosplay), pedi para fazer por escrito mesmo.

A Sandman Books Tag foi criada pela Raquel e ela se baseia em escolher um livro para cada Perpétuo. Não é mais segredo para ninguém que eu AMO Sandman, a ponto de entrar em leilões na internet para conseguir peças que remetam a história e, já tá decidido, uma das minhas próximas tatuagens vai ser a imagem do Sonho desenhada pelo meu amigo Doug Erbert (Brigadão Doug, só tô juntando a grana tá?). 

Aqui vão as perguntas e respostas:

  • Destino: um livro que parece conhecer tudo sobre você;
    Cara, essa é bem difícil, mas acho que Cartas de Amor aos Mortos da  Ava Dellaira se encaixa em nisso e no Desespero. Pois eu sempre fui um pouco como a Laurel e, aos poucos, fui mudando, mas não completamente, mas um dia chego lá.

  • Morte: um livro atraente, descontraído e alto astral;
    Esse é bem fácil pra mim! Toda a Poesia de Paulo Leminski, pois você dá boas risadas com as poesias dele, do modo que ele constrói e desconstrói a ideia de estética.

  • Sonho: um livro f***;
    Como não podia deixar de faltar, acho que um dos livros fodas que li, por mexer com tantas culturas é Deuses Americanos de Neil Gaiman. Mesmo não sendo meu favorito dele, esse deixa a pessoa tão presa que é capaz dela acabar de ler rapidamente, apesar de ser um pouco grosso. Quem não quer saber o que sr Wednesday irá aprontar com o Shadow?

  • Destruição: um livro divertido, com personagens desajeitados; 
    Um dos livros mais divertidos e desajeitados que já li foi Confie Em Mim, Eu Sou Dr. Ozzy do Ozzy Osbourne, pois é o Ozzy dando conselhos pras pessoas, preciso falar mais algo?

  • Desejo: um livro supérfluo;
    Desculpa aí, mas como fã da série de Como Treinar Seu Dragão, acho o 'spin-off' Como Treinar o Seu Viking da Cressida Cowell bem sem noção, bem bestinha mesmo.

  • Desespero: um livro que aperte seu coração;
    Como não posso citar livro repetido, escolho Abzurdah da Cielo Latini. Ele dá um aperto tão grande no coração que você chega a ficar desesperada em algumas partes, mas, apesar disso, é um dos meus favoritos.

  • Delírio: um livro camaleão, que mude a todo instante.
    A série Filhos do Éden do Eduardo Spohr é bem camaleão pra mim, pois a cada momento você ver as coisas por um ângulo diferente, mudando toda sua percepção de quem é Deniel e Kaira.
A tag Rock Book foi criada pela Anna e consiste em escolher um livro para cada banda citada. Música + livro = Amanda mega feliz ♥

Aqui vão as perguntas e respostas, também vou deixar link no nome da banda, alguma música para conhecer as mesmas.

  • Motörhead: Um livro que se passa em vários países
    Como é uma tag nova, vou usar a série Filhos do Éden do Eduardo Spohr, principalmente  o Anjos da Morte por ter o contexto da guerra. (Uma observação sobre a banda, até hoje, foi o melhor show que eu vi, estou esperando ver uma banda que bata Lemmy e seus comparsas.)

  • Foo Fighters: Um livro que você encontra em todos os lugares
    Da minha estante 'principal', a série O Senhor dos Anéis do J. R. R, Tolkein é a que você encontra com mais facilidade nas livrarias, a menos que você seja uma criatura chata que nem eu e só queira alguma edição específica.

  • The Nacional: Um livro para ler em dia de chuva
    Coisas Frágeis do Neil Gaiman é uma boa pedida para dias chuvosos pois tem vários contos que lhe mantem entretido enquanto o sol não sai.

  • Ramones: Um livro para ler rapidinho
    O Oceano No Fim do Caminho do Neil Gaiman é um livro que você lê bem rapidinho mas é tão gostoso de ler que você acaba relendo por ter se apaixonado pela Lottie e sua família. 

  • Elvis: Um livro que sua mãe vai gostar de ler
    Acho que ela iria gostar de ler Diálogos Impossíveis do Luiz Fernando Veríssimo por ser uma série de crônicas e ela curte isso.

  • Janis Joplin: Um livro com protagonista feminina, escrito por uma mulher
    A Menina Submersa da Caitlín R. Kiernan foi um dos primeiros livros dessa nova leva de escritores que li e, admito, a Imp conseguiu por uma lacraia na minha cabeça!

  • The White Buffalo: Um livro com motoqueiros
    Pra mim, essa foi a pergunta mais fácil de toda a tag. De Moto Pela América do Sul é o diário de viagem de, até aquela época, Ernesto Guevara, um argentino de família abastarda que estudava medicina que saiu de moto pela América do Sul com seu amigo Alberto Granado. Após conhecer a América com outros olhos, Ernesto se transforma em Che Guevara e vai lutar pela libertação dos povos, culminando na Revolução Cubana, onde foi morto. Esse livro se transformou no filme Diários de Motocicleta com o maravilhoso Gael Garcia Bernal, caso nunca tenham assistido, vale conferir.
E vocês, como responderiam essa tag?

Até uma próxima postagem!


terça-feira, 7 de abril de 2015 0 comentários

Vida de formada: parte 3 - Tá acabando!

Depois de 4 anos sem atualização de minha vida de formada, posso dizer com certa propriedade que sou uma turismóloga formada.

Em 2011, fiz o baile com a turma para não perder a 'festa', com a turma que tinha entrado, mas não me formei, propriamente dito. Como reprovei uma matéria (economia) tive que cursar novamente após o baile, onde, antes do meio do semestre, o professor se aposentou e faleceu pouco tempo após. Era para a 'faculdade' botar um novo professor para terminar o semestre mas nem isso fez, depois disseram que iam abrir uma nova turma que só abriram tempos depois sem colocar no site onde os alunos fazem a matrícula (QAcadêmico), então tive que trancar a matéria para pagar a mesma em 2012 com um professor MEGA INCOMPETENTE conforme eu disse aqui, onde finalmente passei, mas antes de passar na matéria descobri que sumiram com uma outra nota no meu boletim, logo essa que tava 9,5 e com nenhuma falta! Quando eu vi, estava como reprovada por falta e sem nota, ainda bem que tinha o email da professora para poder dizer que aquilo estava errado.

Eu, a banca e apenas eu e minha orientadora
Após isso começou minha luta para fazer o TCC onde:
  • Meu grupo desistiu;
  • Meu primeiro orientador deu no pé;
  • A menina que ia ser minha dupla desistiu da faculdade para ser cantora;
  • Meu segundo orientador levou quase 4 meses para decidir se me orientava ou não;
  • Essa criatura, o segundo orientador, me deu um cano durante 1 ANO;
  • Tive que entrar com um processo na 'faculdade' (alto escalão, vale ressaltar) para poder trocar de orientador;
  • O orientador me culpou por não procurar ele, apesar de tá lá quase toda semana atrás daquele FDP;
  • Demorou um tempinho para arrumar um novo orientador;
  • Quando arrumei, tive que reescrever o TCC por ele já está desatualizado (era um projeto para a copa e já estávamos no início dela);
  • Passei 1 ano tendo orientação para poder entregar meu projeto e apresentar;
  • Tirei 8,5 na apresentação (eu achei pouco mas fiquei feliz);
  • Tenho que corrigir para poder imprimir a versão final que era para entregar em 15 dias mas vou pedir mais tempo.
Graças a Deusa, arrumei uma ÓTIMA orientadora, a qual me incentivou e me pressionou para terminar essa maldita graduação para tocar minha vida. 

No TCC, criei rotas baseadas em livros que usam Recife como cenário, o que demandou MUITAS horas de pesquisa e leitura. Para ter noção, eu abandonei meus livros que não tinham relação ao TCC para poder me focar e tive que sair do emprego para poder me dedicar aos estudos (nunca fiquei tão feliz por ser desempregada).

Agora só falta a correção e a colação e poderei fazer minha pós em Língua e Literatura Inglesa ♥ E, após isso, poderei pensar se vou passar uns tempos com meu irmão na Inglaterra e arrumar um lugar pra mim.
Meus trigêmeos!
 
;