segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Sem nome nº7: Cansaço, divagações e apenas eu

Meu nome é Amanda e eu sou o cansaço em pessoa. Não falo apenas do cansaço físico mas também do mental e espiritual, é como se não me sentisse viva, como se faltasse algo. Respirar não é estar viva, é um mero reflexo involuntário.


Essa falta de vida me deixa cansada e me sentindo feia e isso faz com que eu tenha vontade de me cortar, ferir e machucar. Pior, consigo me ver claramente com dezenas (talvez centenas, porque não?) de pequenas cicatrizes no interior do meus braços e nas minhas coxas. A razão disso? Tentar compensar a dor emocional com a física, fazendo assim com que eu me sinta viva. Essa é a primeira vez que admito em público que eu sou, por assim dizer, uma cutter. Me machuco com minhas unhas, por conta disso, por anos, impedi delas crescerem. Mesmo com elas curtas, me machucava a ponto de arrancar a pele e deixar marcas vermelhas... Sim, forma tempos muito difíceis para os sonhadores, já diria Amelie Poulain.


Comecei a fazer isso comigo após meu primo ter sido assassinado, acompanhar todo o sofrimento dele e da família dele me fez ficar triste e mais triste. Logo depois veio o assalto e aí a recessão. Fiquei mais triste, pois não podia fazer nada para ajudar em casa, me sentia um peso morto. Depois veio o fim do colégio (ensino médio), vestibular, brigas com as pessoas que considerava 'amigas', a partir daí veio a terapia e a diminuição dos meus machucados.
Mas, algum tempo depois, apareceu o primeiro namorado e com ele o primeiro chute na bunda e a 'auto-injúria' (traduzindo grosseiramente o termo em inglês) voltou com força total. Os arranhões tornaram-se mais recorrentes, cada vez mais fortes a ponto de quase sangrar... Voltei a frequentar terapia e parei novamente, só depois de sofre muito com os machucados. 


De agosto do ano passado até agora, me cortei relativamente pouco pois prometi a Igor e Emily (mais a ela do que a Igor, desculpa amor) que não ia fazer isso. Não farei mais, eu prometi a mim...
---------------------------


Escrevi esse texto acho que a mais ou menos um mês e o sentimento dele se repete. Sim, ainda tenho vontade de me machucar e acabo me machucando sempre, não fisicamente e sim mentalmente.


Neste momento travo uma imensa batalha com meu outro eu, a "Amanda do mal', não sei se jogo tudo pro alto, se mantenho a caminha... Sempre que me sinto assim, lembro do filme 'A Lenda dos Guardiões'.
 "Lembre-se que quando suas asas estiverem fracas, sua fé faltar, quando você achar que voou tudo que tinha pra voar: Você estará no meio do caminho"
Quem sabe estou no meio do caminho? A fé falta a tanto tempo e a maior vontade é apenas ficar calada, só olhando, chorando, lendo.


Esse é meu cantinho da reflexão....

3 comentários:

Leandro Leite disse...

É incrível o quando vemos pouco de uma pessoa, por mais que a gente interaja com ela. Eu posso dizer que entendo o que você sente Amanda, e posso dizer que escrever isso e expor é uma ótima maneira de 'arejar' a mente. É uma caminhada difícil e muitas vezes solitária, mas sem dúvida alguma ela leva a um lugar bom. Se posso dar um conselho útil é não esconder o que tiver vontade de mostrar. =]

Lestat disse...

Todos nós temos fantasmas, alguns mais fortes do que outros, mas em essência não passam de fantasmas. Veja só o meu caso vivo em uma prisão sem muros e sem grades, anseio por liberdade, mas falta-me coragem para tela. Isso me desgasta e mata-me aos poucos, não estou querendo comparar o que vivo com seus temores mas posso dizer que conseguirá superar pois pelo pouco que te conheço e olhe que brigamos algumas vezes rsrsrs posso dizer que por detrás desta menina frágil existe uma mulher forte de olhar penetrante e que não se deixara vencer pela Amanda mal. Beijos e força sempre.

SAVIOMACHADO disse...

Lestat falou bem...
Sabe o que é isso? Um conflito. Um quer viver, o outro quer morrer.
A dor que se sente, internamente, é imensurável... Difícil até mesmo de expô-la em um simples texto. E o que se lê são apenas sentimentos. Porém o que você sente é infinitamente maior que você conseguiu expôr.
Isso vai fazer você evoluir, vai fazer você ser diferente para o resto de sua vida. Saberás que tens mais paciência que outros. Saberás que tens maior capacidade de ouvir, o que é vital nos dias de hoje. Saberás também que a vida é maravilhosa, cheia de prazeres e você irá compartilhar isso.
Em breve teu fantasma que te machuca vai te deixar. E você tornar-se-a uma mulher nova, cheia de vida para compartilhar.
Fica com Deus.
Savio Machado

Postar um comentário

Fale, quero ouvir a sua voz também.

 
;