segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Tirando as teias de aranha


Eu triste sou calada
Eu brava sou estúpida
Eu lúcida sou chata
Eu gata sou esperta
Eu cega sou vidente
Eu carente sou insana
Eu malandra sou fresca
Eu seca sou vazia
Eu fria sou distante
Eu quente sou oleosa
Eu prosa sou tantas
Eu santa sou gelada
Eu salgada sou crua
Eu pura sou tentada
Eu sentada sou alta
Eu jovem sou donzela
Eu bela sou fútil
Eu útil sou boa
Eu à toa sou tua.
(Martha Medeiros)

2 comentários:

Leandro Leite disse...

Ha!

Eu gostei. Ainda mais do último verso.

Lestat disse...

hummm! vejo que quebraste o jejum linda como sempre a sua alma me encanta, tenha uma ótima semana.

Postar um comentário

Fale, quero ouvir a sua voz também.

 
;