quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Projeto Mais Filmes em 2014 - 7ª semana - Tá Chovendo Hambúrguer 2, Hotel Transilvânia e Princesa Mononoke

Hoje é dia de fazer um post gigante pois só essa semana vi 3 filmes, dois que já havia visto e um inédito. Em breve pretendo fazer um post falando de algumas mudanças que fiz nessa ano de 2014 e um primeiras impressões do site Enjoei.com.

Agora vamos aos filmes! Começando pelo inédito.

Poster brasileiro
Nome original do filme: Cloudy with a Chance of Meatballs 2
Nome que saiu no Brasil: Tá Chovendo Hambúrguer 2
Ano: 2013
Dirigido por: Cody Cameron e Kris Pearn
Estúdio responsável: Columbia Pictures e Sony Pictures Animation
Duração: 95 minutos
Gênero: Animação/Comédia/Família
Ranking: 4,5 de 5

A genialidade do inventor Flint Lockwood é finalmente reconhecida quando ele é convidado pelo seu ídolo, Chester V, para entrar para a Live Corp Company, onde os melhores e mais geniais inventores do mundo criam tecnologias para o aprimoramento da humanidade. O braço direito de Chester – e uma das suas melhores invenções - é Barb (uma orangotango altamente evoluída com um cérebro humano, que também é sorrateira, manipuladora e gosta de usar batom). O sonho de Flint sempre foi ser reconhecido como um grande inventor, mas tudo muda quando ele descobre que a sua máquina mais famosa (que transforma água em alimentos) continua em operação e agora está criando híbridos de comida e animais – “comidanimais!” Com o futuro da humanidade em suas mãos, Chester envia Flint e seus amigos numa missão deliciosamente perigosa, enfrentando tacodilos e camaranzés famintos, serpentortas, queijaranhas com bacon duplo e outros monstros de comida para salvar o mundo mais uma vez! (peguei essa sinopse do Filmow)

Adorei essa continuação, acho bem legal a pedida de um filme sobre cientista maluco, da menininha nerd que se esconde pra não ser zoada, do pai que não entende o filho, mas o ama assim mesmo. Amei a homenagem ao Steve Jobs no filme (se é que podemos dizer isso) e os comida-animais! Quero muito um Moranguinho daquele pra mim!!! Acho muito a pena ver se você curtiu primeiro filme. É uma explosão de cores e coisas fofas, amei mesmo!

TRAILER DO FILME VISTO:




Agora os vistos pela segunda vez.

Poster brasileiro
Nome original do filme: Hotel Transylvania
Nome que saiu no Brasil: Hotel Transilvânia
Ano: 2012
Dirigido por: Genndy Tartakovsky
Estúdio responsável: Columbia Pictures e Sony Pictures Animation
Duração: 91 minutos
Gênero: Animação/Comédia/Família
Ranking: 4,5 de 5

Bem-vindos ao Hotel Transilvânia o luxuoso resort "cinco estacas" de Drácula, onde monstros e suas famílias podem viver livres da intromissão do mundo humano. Mas há um fato pouco conhecido sobre Drácula: ele não é apenas o príncipe das trevas, mas também é um pai super-protetor de uma filha adolescente, Mavis, e inventa contos de perigo para dissuadir seu espírito aventureiro. Como um refúgio para Mavis, ele abre o Hotel Transilvânia, onde sua filha e outros monstros famosos como Frankenstein e sua noiva, a Múmia, o Homem Invisível, uma família de lobisomens, e outros; podem relaxar com segurança e tranquilidade. Para Drac, servir à todos esses monstros lendários não é um problema -- mas o seu mundo pode desabar quando um cara comum acaba indo parar no hotel e se encanta por Mavis. (peguei essa sinopse do Filmow, tô com preguiça de escrever uma sinopse)

Monstros clássicos em um hotel reunidos para dar uma festa de aniversário com presenças ilustres como Bethoveen, Mozart e Bach para uma vampirinha adolescente de 118 anos que nunca teve contato com humanos, mas são descobertos por um humano que não dá a mínima para o fato de serem monstros. Eles se isolaram a tantos anos (118) que não perceberam que agora os monstros são amados e não temidos! Tem como isso não ser legal? Pega a pipoca, o refri e se prepara para dar MUITAS risadas com as situações que o Drac e seus amigos se colocam.

TRAILER DO FILME VISTO:



Deixei o meu favorito para o final!

Poster japonês
Nome original do filme: Mononoke Hime
Nome que saiu no Brasil: Princesa Mononoke
Ano: 1997
Dirigido por: Hayao Miyazaki
Estúdio responsável: Studio Ghibli
Duração: 134 minutos
Gênero: Animação/Ação/Aventura/Fantasia/Guerra
Ranking: 10 de 5

Numa jornada para achar a cura da maldição de um demônio (Tatarigami em japonês), Ashitaka se encontra no meio de uma guerra entre os Deuses da Floresta e Tatara, uma colônia mineradora. Nessa busca pela cura, ele também conhece a San, a Princesa Mononoke. (peguei essa sinopse do IMBD, pois é a melhor sinopse que achei)

Bem, me botei em uma situação complicada, como poderei expressar em palavras o quanto esse filme é perfeito? Começarei dizendo algumas curiosidades dele:

  • Para adaptarem esse filme para inglês, precisaram chamar uma pessoa que tivesse um grande conhecimento de cultura e de fantasia, pois o filme é povoado por Deuses da mitologia japonesa. O escolhido para essa tarefa árdua foi Neil Gaiman (esse já é um ótimo motivo para amar o filme ♥);
  • Esse foi o segundo filme a ser adaptado para inglês e distribuído pela Disney, ele foi dublado em português por VÁRIAS vozes conhecidas (Várias mesmos, tipo Guilherme Briggs [tio, sou tua fã e te amo]), assistir o filme dublado é uma viagem no tempo nas vozes de outros personagens conhecidos;
  • Foi o filme de animação mais caro do Japão até hoje, pois custou 23.5 milhões de dólares. Akira, só para comparar, gastou menos da metade disso. E também foi a maior bilheteria com a arrecadação de 150 milhões de dólares, até ser desbancado por Titanic no mesmo ano;
  • Com 2 horas e 14 minutos é o segundo filme de animação japonesa mais logo, perdendo apenas para Uchû senkan Yamato: Kanketsuhen com 165 minutos;
  • Princesa Mononoke foi o primeiro filme da Ghibli a usar a técnica do CG para fazer efeitos e o último a ser quase 100% feito em 2D;
  • O filme não foi editado quando foi traduzido para inglês pois o Studio Ghibli não autorizou;
  • O filme também traz uma crítica ao Japão feudal e, literalmente, não tem um vilão formal, tudo depende de como você enxerga o filme.

Acho que consegui me expressar né? Essa é a segunda ou terceira vez que vejo esse filme, mas a primeira que vejo com a dublagem brasileira. Costumo a preferir os filmes da Ghibli com o áudio original, mas esse não deixa nada a desejar, é um espetáculo a parte. Esse filme tem várias coisas da mitologia japonesa que, infelizmente, não foram seguidas a risca na dublagem brasileira (segundo a mitologia, lobos tem sempre vozes masculinas e gatos sempre femininas independente de serem fêmeas ou machos), mas isso não tira o brilho do filme e da dublagem. Até as músicas, como a um bom tempo não eram, são dubladas, principalmente a final e lhe digo de todo o coração, é de fazer chorar quando você entende a letra, pois ela passa toda a história de Ashitaka em busca de sua cura.
OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: A grande maioria dos filmes da Ghibli tem personagens masculinos, mas eles são secundários! O próprio Hayao já deu entrevistas dizendo que ele prefere fazer filmes com personagens femininos como principais e Princesa Mononoke não foge dessa regra. Temos, também, uma lição ecológica encontrada em vários filmes como Nausicaä do Vale do Vento. Creio também, que esse foi um dos primeiros filmes da Ghibli que realmente não é bom para crianças por conta do nível de violência (apesar que, atualmente as crianças vêem coisas bem piores).
Se pudesse dizer um filme do Studio Ghibli para você ver sem ser o clássico Meu Vizinho Totoro, diria para ver esse e seja banhado por uma técnica artística sem igual e com uma lição de mitologia japonesa. Tem muita fanart desse filme, aconselho a procurar!

TRAILER DO FILME VISTO:


Espero que tenham curtido!


1 comentários:

Renata Pereira disse...

Eu não sabia que tinha o tá chovendo hamburguer 2, amei o primeiro e fiquei com vontade de ver esse tb ahahahahah.
Vi o Hotel transilvania há um tempinho, achei uma fofura sem fim.... eu adoro desenhos, de todo tipo, morro de rir e sempre tem a "moral da história", não acha?
Só o terceiro que já ouvi falar, mas nunca vi, mas sempre me pareceu bem legal
bjs

Postar um comentário

Fale, quero ouvir a sua voz também.

 
;