segunda-feira, 7 de junho de 2010

Será que sto. Antônio se zangou?

Passei o domingo com a minha irmã, ela havia chegado de viagem na quinta-feira e irá voltar para casa hoje, as 5 da manhã. Brincamos sobre arranjar namorados e/ou casamentos... Rendeu ótimas risadas, mas me fez lembrar de uma coisa.


Há um ano estou solteira, porém não sozinha, e começo a achar que a minha 'simpatia' para santo Antônio não funcionou. Dia 12 de junho fará um ano que tentei afogar um santo em um copo de água, certo, fiz isso na brincadeira, mas agora quero alguém.


Antes que pensem, não estou desesperada para achar/arrumar um namorado, apenas quero alguém para poder compartilhar as minhas loucuras, alguém para me divertir e não ter que fazer como ontem que fui a uma apresentação de um amigo sozinha pois ninguém quis me acompanhar.


Me deitei na cama e comecei a lembrar de algo que minha irmã me disse no almoço enquanto eu contava a ela a tentativa de afogar o santo. "Você saberia se tivesse funcionado não" "acho que sim" respondi despreocupada. Agora parei para pensar, talvez a simpatia tenha dado certo e eu até tenha notado, mas a pessoa não. Na cama comecei a imaginar como seria quando ele notasse, foi mais ou menos assim:


Ele estaria com a garota dele e ela, como toda boa mulher, notaria que ele estava longe e pensando em outra pessoa e diria:
- 'Você está pensando em outra pessoa, qual o nome dela?'
Ele, a principio, iria dizer que não mas no final iria admitir e falaria meu nome. O diálogo se seguiria da seguinte maneira:
- 'Você gosta dela?'
- 'Sim, gosto dela pois ela é importante para mim'
- 'Assim que sair daqui irá ve-lá?'
- 'Pretendo'.
- 'Então vá, gosto demais de você para ser egoísta a ponto de te querer infeliz ao meu lado'
Ele sorriria, daria um beijo na buchecha dela e viria me ver, ao chegar aqui eu estaria dormindo (coisa não muito difícil de acontecer, levando em consideração o quão cansada ando). Ele entraria no meu quarto e ficaria me observando por uns instantes até me acordar de um jeito especial. Eu abriria os olhos, sorriria e ficaria observando ele e ele me diria o seguinte:
- 'Vim para ficar com você. Sei que raramente poderei te levar a faculdade e te buscar, mas poderemos passar a noite juntos...'
Eu apenas sorriria, quem já viu meu sorriso sabe que ele é sincero e tenho olhos até doces... Eles diriam o quanto estava feliz por ele ter vindo ficar comigo. Me levantaria e o abraçaria daquele jeito de quem não quer soltar a pessoa.


Sim, eu sei que isso tudo é tão utópico quanto achar a pedra filosofal, mas me permito sonhar, a minha realidade não tem sido tão legal assim. Não tenho uma vida social saudável e nem amigos o bastante para sair. Minha faculdade me consome de um jeito que me desgasta e me cansa, mesmo assim gosto dela.


Talvez essas reflexões sejam causadas pelo simples fato de que irei passar mais um dia dos namorados solteira ou porque um amigo meu esteja exalando felicidade pelos poros por conta do namoro... Bem, tenho medo dessa seguna coisa.


Sabe, quando comecei a namorar com M (não direi o nome dele por questões éticas) eu fiquei como meu amigo, querendo que Deus e o mundo soubesse que eu estava feliz com ele... Construí um castelo, mas não notei que ele era construído sobre nuvens e quando elas se foram eu caí e me machuquei. Não quero que isso ocorra com ele e nem com ninguém, muitos pensam que sou amarga ou que sofro de amor recolhido ou que "esteja no armário", mas apenas sei o quão doloroso é sofrer por amor. O quanto doí ter alguém e esse alguém não ser a pessoa que você imaginou, bem que Freud dizia, nos relacionamos com projeções durante um tempo.


Agora são 01:07 da manhã e me encontro ouvindo pela segunda vez seguida a trilha sonora de Amélie Poulain e me dividindo entre ler e reler o email mais recente da minha bela Emily e checar o MSN para ver se ele entra para conversarmos. Penso, também, em beber para ver se o sono chega... 


Me pergunto onde está o meu sono, onde eu posso encontrar sonhos bons, onde vou descansar. A minha resposta é uma dor de cabeça leve. Por sua vez, eu fecho os olhos e me lembro de meu amigo tocando e relaxo um pouco.


Uma e vinte da manhã, o tempo passa rápido e preciso dormir... Por agora só escrevo isso e me pergunto se santo Antônio se irritou comigo e não permite que eu e ele fiquemos juntos. Por via das dúvidas, farei uma oração a São José e outra a ele.


Até mais tarde.



2 comentários:

Amanda disse...

Pois é amiga, a vida é assim mesmo. Sabe que eu me sinto assim às vezes?! Eu queria passar o dia todo dormindo, mas não por preguiça ou outra coisa, mas, pra sonhar... sonhar, sonhar e sonhar... nos sonhos, tudo é possível, até o impossível acontece, e no sonho, é tão real, que faz com que a gente pense que, enquanto acordadas, podemos fazer as mesmas coisas. A amizade é uma coisa bastante importante. Importante para não nos sentirmos sozinhas, para nao nos sentirmos tristes. Tudo o que queremos 'encontrar' num homem, podemos ter com nossos amigos. Só precisamos trabalhar nisso, para podermos saber 'administrar'. Pense nisso. =)
Belo texto.
=*

FranckSalceBeck disse...

O que dizer, meu santo é outro, Meu padrinho é São Francisco e nasci no dia de todos os santos, solteirice por solteirice acho que vou terminar minha vida sozinho...

Postar um comentário

Fale, quero ouvir a sua voz também.

 
;