domingo, 25 de abril de 2010

She will always be a broken girl

Há alguns dias, leia-se de quarta pra cá, estou vendo o mundo em preto e branco, apesar das coisas que ocorreram na quarta. Não sei, ciúmes com tristeza com algum sentimento que não sei o nome....

Enquanto escrevo essas linhas meus dedos estão dormentes graças a quantidade de bebida que ingeri, não ligo, assim meu cérebro pode funcionar sem barreiras. Estou, de certo modo, apaixonada por um rapaz, mas ele gosta de outra e me contou que gosta dela... Meu pequeno coração de vidro ficou em pedaços. Nada que eu já não seja acostumada. A casca é dura, mas quando começa amolece fica complicado.

Noto que queira ou não sempre serei uma garota quebrada. Acabo sempre entregando-me e me quebrando, mas, sinceramente, nem ligo mais. Desenvolvi uma carapaça tão dura que levo a queda mas não me  machuco. Como um rinoceronte com sua couraça de proteção, não machuca, se machuca é só por fora.

Nesses dias minha amiga da faculdade se virou contra mim por eu ter reclamado de uma atitude dela, logo eu que tenho a índole de reclamar, que não me calo diante a determinadas coisas. Mas ficar com raivinha porque eu reclamei de uma atitude dela? Ah, por favor né??? E o tanto de coisa que eu calava a boca a respeito como não tocar nas catracas da federal ou ter aquele maldito tique nervoso/TOC com o cabelo? Quando ela reclamava por eu beber ou ter uma vida amorosa/social não muito saudável? Eu ficava com raiva?? NÃO. Isso me deixou triste, mais triste que ter o cara que eu gosto dizendo que tá apaixonado por outra, pois, depois de você perder a sua melhor amiga pro namorado dela, isso é uma das piores coisas. Confiava nela e agora ela prefere andar com outras garotas que não tem nada na cabeça que andar comigo pois eu RECLAMEI de algo.

Mas tudo bem, quem precisa não é? Só porque eu levava ela ao curso, arrumei um emprego voluntário pra ela e essas coisas bobas... SIM, EU FIQUEI MAL COM ISSO, EU ADMITO!

Imagine você com a vida de pernas pro ar e ainda vim uma coisa dessas? Pra ter noção, ainda não peguei minha biopsia, para saber se realmente estou com câncer ou não. Ainda estou morrendo de medo! Meu mundo irá cair se eu descobrir que estou doente, pois terei que ter uma rotina e eu nunca foi muito boa com elas.

Descobri o que parece ser a minha música da banda She Wants Revenge. Ela conta a história de uma garota que está destruída mas mesmo assim quer que um rapaz a note, assim como eu fiz tantas e tantas vezes.

Ela compra um vestido novo para a festa
O vermelho sempre lhe cai bem.
Se vira na frente do espelho
E desaparece por dentro de sua cabeça.

Ela quer saber se ele vai se lembrar,
Perguntou-lhe como quem não quis nada.
Se porventura ele não quisesse ir com ela
Nesse caso, ela já saberia o que dizer.

Pensou em talvez perguntar a uma amiga
Embora tenha apenas uma ou duas.
De qualquer forma, ela sempre se deu bem com garotos,
Então quem precisa de amigas?

Dando passos nervosos pelo chão do quarto,
Segurando firme o telefone na mão.
Tentando conter o fluxo de emoções,
E sonhando em poder ter um cara...

É um longo caminho,
E a música está alta.
Ela avista um velho amigo,
E atravessa a multidão.
Tenta dar o melhor sorriso,
Mas por baixo ela está em pedaços.

Mas é um longo caminho,
E a música está alta.
Ela avista um velho amigo,
E atravessa a multidão.
Tenta dar o melhor sorriso,
Mas por baixo ela está em pedaços.


Ela luta contra uma terrível decisão,
Ficar em casa ou ir sozinha.
A mãe faz o possível para consolá-la,
O pai não sabe o que dizer.

Põe a maquiagem,
Coloca o novo vestido.
Ergue a cabeça e entra no carro.
Diz a si mesma que ninguém vai reparar,
Se convencendo de que pode seguir em frente.

No caminho, ela imagina reações.
Mãos em concha sussurrando aos ouvidos.
Esperando, em segredo, que ele esteja lá observando,
Também esperando que não esteja.

Caminhando indecisa, sozinha na estrada,
Enxerga pessoas fumando pelos cantos.
Ela pára e espera até que eles recuem,
Cruza os dedos e continua a andar.

É um longo caminho,
E a música está alta.
Ela avista um velho amigo,
E atravessa a multidão.
Tenta dar o melhor sorriso,
Mas por baixo ela está em pedaços.

Mas é um longo caminho,
E a música está alta.
Ela avista um velho amigo,
E atravessa a multidão.
Tenta dar o melhor sorriso,
Mas por baixo ela está em pedaços.

Ele nunca vai te entender, ele nunca entenderá.
Ele nunca vai te entender, você pode achar um cara melhor.
Ele nunca vai te entender, ele nunca entenderá.
Ele nunca vai te entender, você pode achar um cara melhor.
Ele nunca vai te entender, ele nunca entenderá.
Ele nunca vai te entender, você pode achar um cara melhor.
Ele nunca vai te entender, ele nunca entenderá.
Ele nunca vai te entender, você pode achar um cara melhor.

Ele nunca vai te entender, ele nunca entenderá.
Ele nunca vai te entender, você pode achar um cara melhor.
Ele nunca vai te entender, ele nunca entenderá.
Ele nunca vai te entender, você pode achar um cara melhor.

Ele nunca vai te entender, ele nunca entenderá.
Ele nunca vai te entender, você pode achar um cara melhor.
Ele nunca vai te entender, ele nunca entenderá.
Ele nunca vai te entender, você pode achar um cara melhor.
Ele nunca vai te entender, ele nunca entenderá.
Ele nunca vai te entender, você pode achar um cara melhor.

Poderia ser o momento de quebrar a cara
Poderia ser o momento de quebrar a cara
Poderia ser o momento de quebrar a cara
Poderia ser o momento de quebrar a cara
Poderia ser o momento de quebrar a cara

Silêncio, criança.
Nem um pio!



Infelizmente não tenho mais condições de escrever, até depois.

1 comentários:

FranckSalceBeck disse...

Força menina, estou contigo! Teu texto como já disse outras vezes é lindo e emocionante, parabéns!

Postar um comentário

Fale, quero ouvir a sua voz também.

 
;