segunda-feira, 30 de julho de 2012

Let it go...

Porque é tão difícil abandonar certos lugares, hábitos e pessoas? Porque a gente simplesmente não vira a página, começa outro capítulo, vive uma nova vida, zera o contador e segue em frente livre, leve e solta?

Porque ficar se prendendo a detalhes, pensando coisas que fazem sofrer, lembrando situações que machucam, trazendo tudo isso através do tempo, onde não deveria sequer ser lembrado?

Porque essa necessidade de reviver, de não deixar a coisa ir se apagando aos poucos da memória, até que os traços sejam tão finos que o mais leve vento possa apagá-los?

Porque cogitar situações, pensar se as coisas poderiam ter sido feitas de outra maneira e em como seria a vida se a gente tivesse optado pelo plano B ao invés do A?

Acho que tudo isso vem da sensação de falta que todos temos, uns mais, outros menos. A idéia de que é preciso estar completo, completamente feliz, completamente satisfeito e preenchido de tudo. 

Não dá.

Tem sempre uma peça faltando. Pode ser uma pecinha pequena, ou pode ser do tamanho de uma vida inteira, mas sempre vai faltar. Isso é do ser humano, é um buraco no peito que nada nem ninguém vai conseguir preencher. Somos naturalmente carentes, cada um de uma coisa. Nos resta aprender a conviver com isso, aprender a conviver com as nossas limitações e com as dos outros, tentar sair o mais ileso possível das pancadas pelo caminho e quando for inevitável levar um ou outro tranco, levantar, respirar fundo e saber que é preciso seguir em frente, mesmo que a vontade seja se esconder debaixo do edredon e deixar pra outra hora.

Tenho passado por tantas coisas na vida e aprendido, desaprendido, reaprendido tanto, que toda vez que vou lá atrás resgatar um fantasma, seja por algum momento infeliz, alguma cicatriz dolorida ou alguma infelicidade momentânea, digo pra mim mesma que é preciso deixar o passado pra trás. Mesmo que eu ainda lute contra isso, acabou. Melhor viver outras histórias, ouvir outras músicas, conhecer outras pessoas e sentir novos sentimentos, porque esses já estão velhos, gastos e não servem mais.

Tem momentos em que a gente simplesmente tem que deixar as coisas irem embora.

2 comentários:

Amanda Morgenstern disse...

Bem vinda ao Vou Soltar minha Voz, minha linda. Nosso sonho se realizou.

Emily L. disse...

Obrigada meu amor :-) beijos

Postar um comentário

Fale, quero ouvir a sua voz também.

 
;